segunda-feira, janeiro 19, 2009

Para ti também!



Tenho por Paulo Portas um ódio de estimacão que não me deixa falar do personagem de forma neutra.
Ainda assim, e até porque este fim-de-semana aconteceu o mega congresso da coligacão Paulo Portas - CDS, apetece-me largar uma ou duas postas de pescada.
Eventualmente três.
Mas nunca quatro.
Paulinho da Feiras é, no contexto nacional, um político brilhante. Não pela linha de pensamento ou pelo raio das suas accões, mas pela forma como se movimenta.
É o caso clássico do político nacional que se mexe nas malhas da poder sem qualquer sentido de coisa Pública e apenas com o intuito de se promover, atingir determinados cargos e claro está, encher o bolso. Portas fá-lo como poucos.
Não tem escrúpulos ou princípios, que convenhamos, são requisitos para o trabalho.
Tem uma lata descomunal, que funciona como uma espécie de bónus.
Usa um partido, o dos beatos, como cobertura para ir a votos. Em nome próprio seria mais complicado.
Assim, usa uma estrutura montada há décadas por alguns ilustres como plataforma para as suas ambicões. Pelo caminho, engana meia-dúzia de desgracados que buscam um qualquer tacho público.
Este é o "líder" que se demitiu depois de uma estrondosa derrota, passando os 2 anos seguintes a minar a direccão do próprio partido.
Este é o "líder" que se juntou a um governo PSD para chegar a ministro e se oferece agora para estabelecer uma maioria com Sócrates (embora ele diga que não).
Este é o "líder" que vê nomes antigos abandonarem um partido que está às ordens de uma pessoa e das suas ambicões.
Este é o "líder" que ficou sob investigacão em casos de dinheiros mal parados: os submarinos, a Moderna…este último abafado e com dossiers convenientemente em parte incerta. É a mesma pessoa que debaixo do manto da suspeita vem falar de melhores pensões para os velhos e para os veteranos de guerra.
Fala para o público (é só perder alguns minutos a ouvir as suas intervencões na AR) como se fosse um imaculado exemplo de honestidade, decência e administracão de bens públicos.
Que ele faca pela vida, mexendo-se como uma sardinha fora de água, eu sou obrigado a perceber. Que alguém, para além da própria mãe, ainda acredite que este homem tem alguma preocupacão pelas pessoas a quem pede votos, é que já não consigo encaixar.
Embora não seja um apoiante do PS, espero sinceramente que Sócrates tenha uma nova maioria. Primeiro, a mais importante das razões, porque essa é a única forma de governar em Portugal. Para o bem ou para o mal, tomam-se decisões e evitam-se as trocas de favores na AR para ver propostas aprovadas. Segundo, porque isso representa uma derrota para a direita e poderia (talvez seja eu o utópico...) ajudar os beatos do Largo do Caldas a acordar para a vida.
Paulo Portas representa tudo o que de mau existe na política nacional. Ele não serve, serve-se.
Cheira-me que será um novo Santana, porque também não parece saber fazer mais nada, mas, ainda assim, vale a pena tentar uma nova vassourada em 2009.
É a votar minha gente!

2 comentários:

Motonauta disse...

Apoiado!!! Três vezes apoiado!!!
Tenho a mesma opinião: Paulo Portas e Santana Lopes representam o pior que há na política em Portugal. Só não vê quem não quer!

Anónimo disse...

new999
nvtao778
guojin67
huangrong99
xiaolongnv