quinta-feira, dezembro 13, 2007

Na feira

Analisando as crónicas sobre o debate mensal no parlamento fico com a sensacão que pela primeira vez Sócrates patinou.
Até poderia ser natural, ou aceitável, a sua falta de preparacão, uma vez que tinha acabado de jogar monopoly com o Mugabe.
Ouvi o debate em directo.
Na altura, os jornalistas acusaram Sócrates de não conseguir responder a P. Portas.
O noticiário da RTP repetiu-o.
Para quem se limitou a ver o telejornal, ficou a sensacão de que Portas saiu por cima. O que é falso.
Portas perguntou a Sócrates quantos polícias existiam nos quadros das forcas de seguranca actualmente e quantas admissões estavam previstas.
Isto é o mesmo que perguntar a um astronauta quantos fragmentos encontrou a caminho da Lua. Ainda assim, mesmo admitindo a estupidez da pergunta, há ainda o "pequeno" detalhe de o debate se centrar no tema da educacão.
Paulinho das feiras fez uma pergunta demagógica, fora do tema em debate e foi iluminado pelos jornalistas como se tivesse descoberto a pólvora nas cadeiras da assembleia.
Nada mau para quem acusa o governo de controlar os noticiários, especialmente o da RTP.

2 comentários:

Mocio sem teclado tuga! disse...

"quantos polícias existiam nos quadros das forcas de seguranca"

Meu Deus! A pena de morte foi abolida em Portugal nos idos de 1850!

À falta da cedilha, ponha-se "ci", que é como eu... facio!!!

tf disse...

Cheira-me que ainda ficava mais difícil de ler (para não dizer de escrever :))