sexta-feira, dezembro 07, 2007

Sobe, sobe, balão sobe II


"É preciso aparecer para não que não se esquecam de enviar o salário" diz um filósofo que eu muito aprecio.
Confesso que esta máxima se aplica no momento, dada a quantidade de coisas a preparar neste mês. Há tanto para fazer, tantos detalhes importantes, que as 8h por dia aqui no estaminé não dão jeito nenhum.
Reparo agora que o conceito de "férias activas" se aplica também ao planeamento. Ainda não estamos lá e já estou cansado.
Garrafas que não congelem, botas com asas, casacos com 3 camadas, saco-cama versão sibéria, vacinas para 15 tipos de moscas diferentes, como dar grojas, como evitar ajudas desnecessárias, como beber água, como mictar sem acertar numa cobra, como respirar com pouco oxigénio, como evitar dentadas de leões, o que fazer caso um elefante peca um amendoim, como tomar banho sem água…
Mas não é só meter um pé à frente do outro e seguir?
Parece que não.
Pergunto-me se um africano que vem caminhar para o Alpes leva vacinas, esconde o dinheiro no sapato e usa pastilhas para meter na água?
Não é preciso responderem.
Perguntava-me uma pessoa cuja opinião é para mim muito importante: "Mas afinal, qual é a piada de subir e descer montanhas?"
Fiquei a pensar. Será a paisagem que se descobre a cada passo? Serão os diferentes tipos de vegetacão que nos envolvem consoante a altura? Será a descoberta de um novo limite físico? Será o atingir um ponto alto e dizer "consegui"?
Talvez seja o desafio. O simples desafio imposto.
Então e uma vez lá em cima?
Epá…observa-se a paisagem durante uns segundos porque o frio não permite mais e desce-se. É isso.
Para trás ficaram 5 dias de esforco. Tudo por aqueles 30 seg.
Sim, acho que é pelo desafio.
Se não fosse assim, não chegar ao topo não deixaria de ser uma frustracão. E para mim, não atingir o objectivo, será uma frustracão.
Mas depois alarguei o pensamento para o nosso dia-a-dia. O que é que não é um desafio?
Nada. Rigorosamente nada.
Até estar em casa a fazer zapping entre 40 canais da tv cabo é um desafio. Já tentaram ver um jogo de futebol, um filme e um noticiário ao mesmo tempo? Dá-me cabo da cabeca!
A senhora da agência já foi rebaptizada para Jó. Respondeu e continua a responder às minhas 37 perguntas diárias com uma paciência fantástica.
Apesar de alguns cuidados sérios que devemos ter, nada, rigorosamente nada, entre doencas, animais selvagens, montanha, frio, falta de oxigénio e por aí fora me preocupa.
Para aquilo que realmente devo olhar, passo despreocupadamente pelas brasas. É no acessório que, como de costume, centro os meus olhos: o avião.
Os vôos internos deveriam ser feitos numa companhia chamada Zanair. Uma rápida pesquisa no Google mostrou-me dois espalhancos este ano. Num deles a porta abriu-se em pleno voo, no outro não acertaram com a pista ao aterrar.
Isto é que me tira o sono.
Oxigénio e leões não me dizem nada.
Pedi para ir noutra companhia que também já tinha investigado: Precision Air.
Registo impecável nas bases de dados de acidentes e aviões bem catitas.
Até têm os horários em pdf.
Estou safo.


3 comentários:

Anónimo disse...

antes de ir já estas cansado, mas se calhar merece oesforço tal como tu dizes pelo desafio,mas cuidado eu pessoalmente nao queria esse desafio, mas tambem se compreende as idades são bem diferentes um beijo grande ana

tiago f. disse...

"Ana",
eu diria que não são só as idades.
É que eu gosto de acampar e coisas do género.
Tu e tendas, nunca foi bem aquela relacão :)
bjo

Anónimo disse...

tens razão tendas nunca foram o meu forte, mas paciencia nem todos podemos ter os mesmos gostos, gosto mais de estar sentada bem confortavel a ver a paisagem assim sim podes convidar-me. Beijinhos grandes Ana.