segunda-feira, janeiro 08, 2007

O sonho

Ando a ler a biografia não autorizada do Fidel. Há claramente algumas linhas de ficção mas ainda assim sinto-me preso. Ontem, por preguiça de ir buscar este livro sempre arrumado na mochila que me acompanha no comboio, resolvi começar o "Sul" do Sousa Tavares. Escrito por ele e com relatos de viagens devia ser bom. Era pelo menos essa a ideia. As primeiras páginas não desiludiram e adormeci com o céu como limite.
Esta manhã, naquele estado nem-a-dormir-nem-acordado, via a paisagem a caminho do trabalho e pensava em viagens.
Não deve haver nada que me fascine mais. Quando não estou, sonho onde quero estar.
Mais do que descansar ou aproveitar o Sol, gosto de perceber as diferenças, estabelecer comparações, compreender como nos encaixamos no globo.
O mundo é tão grande, com realidades tão distintas que chego a considerar injusto o nosso tempo de vida. Não chega para compreendermos todas as realidades que nos rodeiam.
A minha teoria baseia-se em aproveitar o máximo e tentar ver tudo o que conseguir. Algum dia perderei o medo das companhias aéreas manhosas, da corrupção de leste ou dos atentados e alargarei por fim a rede de destinos. Até lá, ainda há muito para ver.
Por vezes, são estes olhares que me permitem compreender algumas coisas no meu país. Olhar em volta ajuda a perceber quem somos no mundo, para o bem e para o mal. Custa-me por isso compreender o desinteresse de quem não quer espreitar o planeta.
Nas gerações que nos antecederam isso era um previlégio de berço mas nos dias de hoje o mundo está ao alcance de todos. Continua a ser caro atravessá-lo até à Oceânia, mas já se chega ao coração da Europa a preço "Algarve". As low-cost abriram novas portas neste domínio.
Não consigo entender que na minha geração, alguém com emprego estável, veja interesse em torrar a pele e o subsídio de férias invariavelmente, ano após ano, no mesmo destino. Tipicamente Algarve.
Nada contra o turismo dentro de portas. Portugal está cheio de sítios maravilhosos, mas passar toda uma vida sem conhecer outras realidades (quando o preço deixa de ser desculpa), define-nos um pouco enquanto povo.
As férias já são curtas (num mundo justo seriam de 6 meses!!), os 14 salários um previlégio quase exclusivamente Português (por acaso não sei de outro sítio onde tal exista) e mesmo assim, a opção passa quase sempre por 15 dias no Algarve e 200 cts só para alugar uma casa. Apesar de tudo isto choca-me. E irrita-me, para ser sincero.
Até Espanha (que são várias realidades dentro de um só país) já possibilita férias e consequentes descobertas por menos dinheiro que os "Algarves". É pura falta de interesse, nada mais.
Até pode dar-se o caso de se descobrir que a praia da Quarteira e o bar do Paulo China são os sítios que mais gostamos. Mas como se descobre isso se nunca se viu nada diferente?
Tento elaborar sempre uma lista de destinos. Nunca consigo. A escolha é demasiado grande e perco-me a tentar encaixar tudo nos dias de férias até à reforma (não pode ser aos 30??).
As paisagens da Nova Zelândia, a China e a sua muralha, Moscovo e a sua praça, o Adriático croata, a Viena clássica, as neves do Kilimanjaro, a paz do Tibete, os trilhos da Patagónia, as praias do Índico...bolas, tantos sítios que gostava de ver e rever.
Ainda estou para perceber porque é que nunca pensei trabalhar nessa área...
Não ver é não sonhar. Viver sem sonhar é uma chatice.

4 comentários:

iva disse...

Alguém que partilha a minha opinião em relação ao Algarve :) qual será o interesse de passar as férias numa fila pra comprar o fiambre para o pequeno almoço... não ter sítio onde colocar a toalha na praia...quando no nosso país temos recantos fabulosos ja para não falar no mundo q está à nossa disposição...

Sandrinha disse...

Olá... concordo com tudo!
Férias de 6 meses; reforma aos 30 e 14 ordenados para ter €s e poder viajar!

Rui Silva disse...

Há pessoas que não gostam de viajar. Tipo eu. Mas já gostei menos é um facto. Já não considero perda de tempo e de dinheiro.

tiago disse...

Aí está algo que não percebo Rui.
Viajar é perder tempo?
O que fazes com o tempo livre??
:)